Uncategorized

Entrevista: Na linha da frente com a AISA

By Junho 3, 2020 No Comments

“Uma das principais preocupações quando reabrirmos será manter o distanciamento” começa por referir Rita Marau, coordenadora do Departamento de Serviços Sociais da Associação de Apoio Social N.ª Sr.ª da Assunção. Na instituição estão todos ansiosos por saber quais serão os critérios de reabertura e as condições que vão ser impostas, assim como a capacidade da AISA em coloca-las em prática.

São muitas as preocupações que surgem à associação na reabertura. Desde ir buscar os utentes a casa até ao estado físico e mental em que eles vão regressar ao centro de dia. Antes da pandemia, a instituição fazia o transporte numa carrinha de nove lugares, oito utentes mais o motorista, estando os utentes sentados lado a lado num espaço reduzido. “Num futuro próximo como vai ser?” questiona-se Rita Marau. Relativamente ao estado físico e mental dos utentes afirma que “temos que nos preparar para uma reabertura do centro de dia com utentes cada vez mais dependentes, tanto a nível físico como a nível cognitivo. Desde março que os serviços de saúde e de fisioterapia estão suspensos e se já tínhamos uma população envelhecida e dependente quando reabrirmos vamos ter pessoas ainda mais dependentes”.

Entrevista publicada dia 21 de Maio no site da Rede Social Cascais

Leia notícia completa no site da Rede Social Cascais